Menu

Terreiros de Macapá serão isentos do pagamento do IPTU

Benefício fiscal, segundo a prefeitura, é defender o livre exercício da liberdade religiosa (Foto: Marisa Viana/Divulgação) Benefício fiscal, segundo a prefeitura, é defender o livre exercício da liberdade religiosa (Foto: Marisa Viana/Divulgação)

Projeto da prefeitura tem o objetivo de defender o livre exercício da liberdade religiosa, com o enfrentamento às intolerâncias, discriminações e exclusões.

Com o projeto ‘Terreiro Legal’, da prefeitura de Macapá, povos e comunidades tradicionais de matrizes africanas poderão solicitar a isenção do pagamento do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) desses espaços localizados nas zonas Rurais e Urbanas da cidade.

O objetivo do benefício fiscal, segundo a prefeitura, é defender o livre exercício da liberdade religiosa, com o enfrentamento às intolerâncias, discriminações e exclusões; e combater a violação dos direitos de natureza religiosa.

De acordo com o Município, o projeto é amparado por lei que dispõe sobre a limitação ao Poder Público Municipal de tributar sobre os templos de qualquer culto, e na lei de autoria do próprio prefeito, quando era vereador, Clécio Luís, que institui no âmbito do município de Macapá o dia 8 de maio como data para comemorar e divulgar os cultos afros.

“Essa primeira etapa é de coleta de documentação e declaração de que o local é um centro religioso. Posteriormente, os donos dos centros poderão solicitar o alvará de funcionamento do templo afro-religioso e, com esse documento, ficarão isentos do pagamento do IPTU”, informou a diretora do Departamento de Promoção da Igualdade Racial, Edicleia Ribeiro.

Há na capital, conforme a prefeitura, 200 terreiros; 30 já solicitaram o alvará de funcionamento.

Em dezembro de 2016, o governo do Amapá tornou lei proposta que dá isenção total do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nas contas de água, energia, gás e telefone de igrejas e templos de qualquer culto ou denominação do Amapá.

Para ter acesso ao benefício, basta a igreja apresentar o CNPJ ou certidões que comprovem regularidade perante obrigações com a União, Estado e Município, documento de estrutura de titularidade do imóvel, posse de propriedade ou contrato de locação.

Fonte: Portal de notícias G1 / Amapá

Última modificação emSábado, 03 Junho 2017 02:09

Deixe um comentário

Envie seu comentários, ele será analizado por nossos moderadores e em breve será publicado. Agradecemos sua participação

Portal Afroxé

voltar ao topo
Instagram

Notícias em Destaque

Seções

Mostrar

Notícias Locais

Ferramentas

Sobre Nós

Siga Nos